Enganando calorias – alargar sem ter por onde

Não é só através do trabalho de pinças – seja desfazê-las ou estreitá-las, vide Enganando calorias – pinças -, que podemos alargar camiseiros, blusas, t-shirts ou mesmo vestidos!

Desta vez, em causa estava um camiseiro da minha mãe que já não assentava como ela queria. Comprovem vocês mesmos:

Camiseiro inicialmente

As carcelas – é a designação que tem a área onde se cosem os botões e também onde se fazem as casas – repuxavam, dando um aspecto forçado e desleixado. Este tipo de situação é muito comum pois facilmente ganhamos ou perdemos volume em certas zonas do corpo – para a maioria de nós, perder é bom, ganhar nem tanto! -, e numa altura em que as carteiras, essas sim!, não param de emagrecer, é bom termos alguns truques para recuperar a roupa julgada perdida.

Curiosamente, o camiseiro tinha pinças mas a serem retiradas, a peça perderia a estrutura do cintado – em certos corpos mais volumosos, a estrutura da roupa é bastante importante pois é ela que vai dar forma ao corpo, tornando o visual mais equilibrado e agradável à vista – e não era isso o pretendido. Assim, e até porque mesmo desfazendo as pinças não ganharíamos o suficiente para a peça cair harmoniosamente, optei por alargar as costuras laterais. Até aqui tudo bem, excepto por um pequeno detalhe sem importância: as costuras laterais não tinham tecido por onde serem alargadas…

Alternativa: acrescentar tecido nessas costuras! O método não é novo, é fácil e, sobretudo, barato. Bastou-me um resto de tecido vermelho, do tom exacto do floreado do camiseiro, e linha branca, e após umas horas de trabalho, o resultado final foi este:

Caimiseiro já arranjado

Reparem na diferença na carcela, como nesta última imagem não repuxa, cai harmoniosamente e, na anca, a peça até tem um aspecto ligeiramente evasé que contribui para a ilusão de uma cintura mais fina e uma silhueta de ampulheta ;O). Ainda para mais, estão a voltar às luzes da moda as abas na anca e neste camiseiro recria-se ligeiramente essa tendência.

Quanto ao processo em si, como já referi é fácil: basta calcular quantos cms será necessário alargar – neste caso, alargou-se 3 cm de cada lado, resultando num acréscimo final de 6 cm -, cortar duas tiras de tecido com a largura e o comprimento desejados; atenção para não esquecer os valores de costura (2 cms geralmente são suficientes, a não ser que o tecido do acrescento se desfie facilmente, nesse caso 3 ou 4 será o ideal!

Desfazer as costuras, alinhavar os acrescentos, fazer a prova para confirmar se a peça está a gosto, coser à máquina, chulear, ajeitar bainhas – este camiseiro em particular estava muito mal acabado e tive de fazer novas bainhas nas laterais! – pespontar e voilá, c’est fini!

O arranjo no camiseiro terminado mas o post ainda não, porque não quero deixar de vos mostrar o detalhe do acrescento, para reforçar a importância do tecido escolhido – deve ser harmonioso com as cores e a textura da peça de roupa (ou verdadeiramente contrastante se for esse o objectivo!).

Detalhe do acrescento

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: