Teoria e prática do botão

Botões, botões e mais botões…

Pregar botões tem algo que se lhe diga, mais do que pensaríamos num primeiro olhar!

Na semana passada, terminei as minhas primeiras calças masculinas clássicas na escola – e deixo um conselho: não se aventurem a fazer peças em fazenda grossa no pino do Verão, a não ser que pretendam suar as estopinhas! -, e, apesar de já ter pregado alguns botões antes, aprendi algo mais que quero partilhar aqui.

A teoria do botão – regras que me foram passadas na escola:

1.a  – Os botões pregam-se sempre com linha dupla;

2.ª – Para achar o sítio certo para os pregar devemos colocar a carcela das casas por cima da dos botões e marcar o centro através da casa correspondente (esta regra tem desenvolvimento abaixo, na parte da prática!)

3.ª – Os buraquitos do botão devem acompanhar o sentido da casa, i.e., se a casa estiver feita na vertical, os buraquitos deverão também ficar na vertical; se a casa estiver feita na horizontal, os buraquitos devem ficar na horizontal. Esta regra aplica-se também quando há 4 buraquitos. Em caso de presilhas ou azelhinhas, a regra mantém-se;

4.ª – Deverá passar-se a linha (dupla) 3 ou 4 vezes por cada dupla de buraquitos, depois disso faz-se um pezinho e remata-se no avesso da peça.

A prática do botão – pequenos truques que aprendi e testei

1.º O nó da linha deve ficar para o lado direito da peça, pois o pé do botão acabará por escondê-lo e consegue-se um acabamento muito mais bonito – lá porque o avesso fica escondido da maioria dos olhares, não significa que não  queiramos o mais bonito possível;

2.º Se a casa estiver na vertical, a regra n.º 2 dá muito resultado mas já se estiver na horizontal, quando vestirem a peça a casa desviar-se-á, comprometendo o caimento final . Assim, nestes casos, parece-me bem mais eficaz marcar o botão junto ao extremo da casa – atenção para que não fique demasiado no extremo, repuxando a casa em vez de a fixar perfeitamente – , exactamente onde queremos que o botão fique, depois da peça vestida;

3.º A linha dupla fixa melhor o botão, é certo, mas torna muito fácil o surgimento de linhas enroladas. Cada vez que a linha passa pelos buraquitos e pela peça, puxa-se bem ambas as linhas antes de voltar a repetir o processo – as tais 3 ou 4 vezes por cada dupla de buraquitos!

2 comentários (+add yours?)

  1. joaquim Afonso Macuanja
    Fev 19, 2013 @ 08:53:18

    na técnica de trabalhar com o botão, existe um método que culmina com a pregacão dos botões na camizete, tendo em conta com a forma dos botões e cor, com o objectivo de produzir uma nova moda de escrever na camizete com botões. Procurarei expor as imagem na proxima vez que eu me comunicar com vosco. també so fazedor da arte na cidade da beira, provícia de sofala, mocambique.

    Responder

    • suzanices
      Fev 21, 2013 @ 11:23:18

      Olá Joaquim. Agradeço a sua visita e as palavras. Os botões são elementos fantásticos que nos permitem expressar a criatividade de diversas formas. Pessoalmente, adoro botões :O), e vejo que não sou a única. Apareça por aqui sempre que quiser, deixe comentários, envie imagens… É sempre muito bom partilhar experiências, saberes e técnicas e é mesmo para isso que este espaço existe.

      Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: